Linhas de Yoga

Existem várias linhas de Yoga. Algumas mais antigas outras mais recentes. Os textos antigos dizem que o conhecimento do Yoga teria sido passado por Shiva (uma divindade Hindu).

Bela estátua de Shiva.

Nas escrituras mais antigas da Índia, os Vedas (2000 a.C.) e nos seus comentários, as Upanishads, são citados alguns conceitos do Yoga, através de histórias, que seriam melhor explorados nos textos seguintes.

Uma página da Vajasneyi samhita do Shukla Yajurveda (Sânscrito, letras Devanágari).

No Bhagavad Gitá (IV a.C.), uma outra escritura antiga, que faz parte do Mahabharata, são descritas várias possibilidades de Yoga, como por exemplo, o Karma Yoga. Karma no sentido de ação, diferente do conceito ocidental dessa palavra.

Entre o séc. II a.C. e IV d.C. foi feita a primeira obra escrita a respeito especificamente do Yoga, o Yoga Sutra de Patanjali. Que se tornaria parte de um Darshana (ponto de vista) do Hinduísmo.

Estátua de Patanjali, o codificador do Yoga Clássico.

A partir do séc. X aparece o Hatha Yoga através de escrituras como o Hatha Yoga Pradipika, Shiva Samhita e outras. Um yoga influenciado pelo tantrismo da época.

Nestas obras apareceram muitas das posições físicas que conhecemos hoje, até porque o corpo são, era um dos objetivos do Hatha, para permitir que o sadhaka (praticante) chegasse ao Rája Yoga ou à meditação, consequentemente ao objetivo: samadhi (êxtase e hiperconsciência) e moksha (libertação da roda de reencarnações).

Representação de um Hatha yogin

Depois desse período, num renascimento do yoga mais aberto ao público, após 1900, surgiram várias outras linhas modernas baseadas no Hatha, com posições vigorosas, encadeamento de ásanas, sequências coreográficas etc.

Em breve vou detalhar um pouco mais cada um desses períodos e modalidades de yoga.

Espero que tenha gostado desse artigo.

E venha praticar!

Um abraço.

Fernando Salvio