Meditação na visão científica

Este texto é baseado no artigo:

Os Efeitos da Meditação à Luz da Investigação Científica em Psicologia: Revisão de Literatura. De Carolina Baptista Menezes & Débora Dalbosco Dell’Aglio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Clique para ler o artigo completo

Definindo Meditação

Meditação é um conjunto de técnicas para treinar a focalização da atenção.

A meditação é uma prática muito antiga, com origem nas tradições orientais, estando especialmente relacionada às filosofias do yoga e do budismo.

Podemos diferenciar entre dois tipos básicos:

Mindfulness (zen, vipassana) uma prática de abertura em que há uma percepção dos estímulos, como pensamentos, sentimentos e/ou sensações, embora a atenção específica mantida seja uma observação livre que não os julga nem analisa.

Concentrativas caracterizam-se pela restrição da atenção a um único objeto, interno ou externo. Ignora-se qualquer estímulo do ambiente, focalizando uma atividade mental ou sensorial específica, por exemplo, a repetição de um som, uma imagem ou a respiração.

Uma terceira categoria pode ser cogitada pela combinação das técnicas.

Alguns dos benefícios já estudados da meditação

Poder maior de concentração;
Capacidade de manter o foco;
Maior eficiência do uso dos recursos mentais ao processar diversos estímulos;
Diminuição do pensamento repetitivo;
Redução de pensamentos de distração;
Habilidade para lidar com pensamentos automáticos;
Diminuição dos sintomas de estresse;
Redução da ansiedade e da depressão;
Redução dos sintomas transtorno de pânico, com e sem agorafobia;
Diminuição dos episódios de transtorno do comer compulsivo;
Melhora do humor e maior resiliência;
Melhora da qualidade de vida e o bem-estar psicológico;

Mudanças físicas estruturais no cérebro

Uma pesquisa que comparou a espessura do córtex de meditadores experientes com um grupo-controle encontrou uma diferença significativa nas regiões relacionadas à sustentação da atenção, onde a espessura era maior nos praticantes experientes.

Maior tempo de prática, maiores efeitos positivos

Meditadores mais experientes se mostraram mais adaptados, alegres, maduros, autoconfiantes e com melhor auto-imagem, mais estáveis emocionalmente, conscientes, confiantes, relaxados e auto-suficientes

Auxílio nos tratamentos psicoterápicos

A meditação, assim como a psicoterapia, busca a eliminação das barreiras do ego, a fim de que as potencialidades humanas se manifestem. Através da focalização da atenção, a meditação pode ser interpretada como uma tentativa de desfazer os condicionamentos e as programações da mente.

A meditação no Yoga

E finalmente o artigo conclui que a meditação dentro do seu propósito original, por exemplo no Yoga, é maior facilitadora de características tradicionalmente atreladas à prática, como níveis mais profundos de propósito na vida e auto-atualização.

Espero que tenham gostado e comece a praticar!